CBeS – Confederação Brasileira de eSports

Marcas não Endêmicas e a Diversidade de Gêneros no eSports

Imagem: Sephora e GirlGamer

No próximo dia 20 de Junho acontece em Portugal a segunda edição do festival GirlGamer, evento que tem por missão celebrar e promover a competitividade da mulher no eSports.

Nesta edição, uma marca que tradicionalmente não se veria associada com os Esportes Eletrônicos (já que o público dessa modalidade ainda é predominantemente masculino), é a marca de beleza feminina Sephora. Em seu Press Release a Diretora de Marketing Paula Rocha menciona que “Acreditamos que assim como acontece no mercado de beleza, games não são mais representados ou limitados por gêneros”.

Essa parceria e os comentários da Diretora de Marketing da Sephora são bastante importantes por promoverem dois pontos essenciais que demonstram as imensas possibilidades do mercado de eSports: Marcas não Endêmicas e Integração de Gêneros.

Em primeiro lugar, a importância dos investimentos de marcas no eSports já é bastante mencionada no mercado, mas no Brasil ainda poucas marcas não endêmicas (isto é, cujo core business não está relacionado a gaming ou Esportes Eletrônicos) estão investindo nesse mercado que cresce continuamente e pode decolar com o maior investimento.

No exterior, diversas marcas de indústrias variadas estão investindo no mercado. Marcas como Snickers, McDonald’s, KFC são exemplos na indústria de alimentos. AirAsia, Vodafone, Audi, Ford, Mercedes, Hyundai, a Marinha e Aeronáutica dos Estados Unidos são alguns outros exemplos. No Brasil temos notadamente a Kabum, Vivo e Submarino todas patrocinando equipes e a final do CBLOL do ano passo viu o patrocínio da Fanta Guaraná ao Team One, vencedor do torneio.

Mas ainda há diversas oportunidades para marcas entrarem no mercado de esportes eletrônicos, oportunidade que vão além do patrocínio a equipes, e a Sephora dá um importante passo nesse sentido.

Outro ponto muito importante, é que os eSports proporcionam uma condição privilegiada para a integração de gêneros.

Apesar de ser ainda uma modalidade majoritariamente masculina, a presença de diferentes gêneros tem crescido com o tempo, proporcionando não apenas a participação de equipes de outros gêneros que não o masculino, mas também a possibilidade de equipes disputando torneios com line-ups mistas.

Apenas para citar um exemplo da participação do gênero feminino, as finais nacionais de Paladins e Smite de 2017 tiveram a presença da Black Dragons, equipe fundada e dirigida por Nicolle “Cherrygumms” Merhy e da equipe ETES que contou em sua equipe mista com a atiradora Luana “Ludarc” Neves. O público no local do evento abraçou a presença das duas competidoras.

A CBeS acredita e promove o fair play, a não discriminação e a integração entre gêneros, regiões, raças e credos. Como tal, vemos como muito importante a iniciativa da Sephora em promover um evento voltado para o público feminino nos esportes eletrônicos. E como extremamente importante a existência de eventos assim que permitam o contato com o eSports de marcas mais focadas em targets específicos.

Acreditamos mais ainda na crescente possibilidade da integração de gêneros, raças, credos e regiões nos eSports de forma transparente e contínua, e trabalharemos pelo momento em que diversos torneios espalhados pelo país ocorram com equipes mistas, promovendo e celebrando a imensa diversidade e união que essa modalidade permite.